Por que compartilhar? As vantagens da economia compartilhada

Por que compartilhar? As vantagens da economia compartilhada

Tempo de leitura: 4 minutos

A economia compartilhada tem revolucionado o mercado na última década. Mas você sabe o que é e conhece os benefícios desse modelo de negócio?

O conceito é baseado no consumo colaborativo, cujo foco está no uso e não na posse. Ele veio com força após a crise de 2008, quando a necessidade de poupar recursos era questão de sobrevivência para a maior parte da população.

De acordo com o relatório Economia Compartilhada, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), há mais de 1 bilhão de carros nas ruas e estradas, com 470 milhões de motoristas dispostos a compartilhar o uso do veículo. Em cada casa, há aproximadamente US$ 3 mil em itens inutilizados que estão apenas ocupando espaço, enquanto 69% das pessoas aceitariam compartilhar esses objetos se pudessem lucrar com isso. Além disso, oito em cada dez pessoas no mundo afirmam que “compartilhar aumenta a felicidade”, o que por si só já mostra o potencial desse modelo de negócio. É possível compartilhar transportes, espaços, hortas, roupas, eletrodomésticos, crédito, alimentos, hospedagem e o que mais a imaginação permitir.

A economia compartilhada permite o acesso democrático a bens e serviços por meio de um modelo de consumo sustentável, consciente e racional. E isso também se reflete no meio ambiente.

Ao reduzir a necessidade de produção, o ato de compartilhar reduz por tabela a emissão de gases de efeito estufa e o uso de recursos naturais, o que é muito bom para o planeta e para as gerações futuras.
Voltando para a vertente social, a proposta também é pautada em relações de confiança, fortalecendo o senso de pertencimento e se opondo ao individualismo exacerbado da posse. Isso traz de volta a responsabilidade coletiva e o conceito de comunidade, aproximando as pessoas.

Ainda não consegue relacionar de forma prática com a sua vida?

Airbnb, Uber, Doghero, Blablacar são exemplos bem atuais da economia compartilhada e aposto que já deve ter utilizado algum desses serviços.
Você se identifica com esse modelo e gostaria de aproveitar essa tendência?

Aí vão algumas dicas:

Use a sabedoria coletiva e aposte na cocriação.
Seguindo com as sugestões, existem inúmeras de apostar na cocriação, como buscar a opinião de seus clientes para desenvolver um novo produto ou contratar freelancers por meio de plataformas como a 99designs.

Arrecade com o crowdfunding
Outra tendência que veio para ficar é o financiamento coletivo por meio de plataformas de crowdfunding, como o Catarse e o Kickante.

Deste modo, as empresas conseguem arrecadar fundos para projetos inovadores, com ou sem fins lucrativos, que oferecem recompensas exclusivas aos apoiadores.

Está claro que as vantagens desse modelo para o planeta são enormes. Para os indivíduos, o bem-estar promovido pela criação e fortalecimento de vínculos é um ponto bem relevante.

Compartilhe espaços
Como gestora do Coworking São Paulo, não posso deixar de mencionar as vantagens dos espaços compartilhados. Ao dividir o ambiente de trabalho da sua empresa com outras companhias, você reduz custos, economiza recursos naturais e abre caminhos para novas oportunidades de negócios e parcerias. Pense nisso.

Ah, e tem mais uma coisa. Aqui, nosso propósito é promover espaços inspiradores para impulsionar pessoas e negócios. Podemos personalizar o ambiente ideal para receber equipes grandes ou pequenas. Clique aqui e entre em contato conosco!

Gostou do artigo? Compartilhe com amigos, time e parceiros.

Por Nathalie Brito
Gerente Imobiliária na Engeform Desenvolvimento Imobiliário e Coworking São Paulo.

Referência

Dúvidas? Envie sua mensagem pelo WhatsApp.